.

.

Edilane Araújo tem 30 anos na tela da TV Cabo Branco

Edilane Araújo, a dama das noites.


Por Sílvio Osias/ Jornal da Paraíba

Primeiro, ela se revelou no palco, fazendo teatro. Depois, veio a voz no rádio. A televisão parece ter sido a soma das duas experiências.

Dos testes iniciais, no auditório do Hotel Tropicana, ao primeiro telejornal, foram alguns meses.

A estreia de Edilane Araújo no vídeo foi na fase em que a TV Cabo Branco operou em caráter experimental. Faz 30 anos.

A TV Cabo Branco entrou no ar em caráter definitivo no primeiro dia de 1987, como afiliada da Rede Globo. Antes, entre outubro e dezembro de 1986, ficou no ar em fase experimental, transmitindo o sinal da Band.

O primeiro telejornal posto no ar foi o Câmera 7. Depois veio o Jogo Aberto. Com o nome emprestado de um programa radiofônico e editado por Wernek Barreto, ia ao ar na hora do almoço e era apresentado por ela. Edilane Araújo estava se preparando para um grande desafio: ocupar o horário de maior audiência, do telejornal noturno da emissora.

No comando do JPB 2° edição, o "boa noite" mais famoso da Paraíba.


Nos primeiros tempos da TV Cabo Branco como afiliada da Globo, os telejornais se chamavam JCB. O nome JPB veio depois. Quando Edilane assumiu a bancada do JPB2, não era usual que os telejornais da noite fossem apresentados por uma mulher. Havia pioneirismo na decisão do jornalismo da emissora, comandado por Erialdo Pereira.

Fomos parceiros por quase duas décadas. Eu, na edição. Ela, na apresentação.

Seu profissionalismo, seu perfeccionismo, seu alto nível de exigência – sua postura enquanto o jornal era editado antecedia o que ia ao ar. Numa luta diária para que não cometêssemos erros, para que não falhássemos operacionalmente. E, sobretudo, para que oferecêssemos ao telespectador a melhor informação, mais correta e mais crível.

Não tenho lembrança de que tenhamos cometido nenhum erro grave nas centenas de programas que editamos. Era compromisso nosso. Profissional, ético.

A garota que vimos no palco. A voz que ouvimos no rádio. Edilane Araújo logo se transformou na cara da televisão paraibana. Um verdadeiro sinônimo de apresentadora.

0 comentários:

Visitantes pelo mundo