.

.

“Liberdade, Liberdade”: gravação de nova cena de enforcamento mobiliza mais de 400 pessoas



A Globo voltou a mobilizar um bom número de profissionais para mais uma cena de enforcamento em “Liberdade, Liberdade”, atual novela das 23h.

Segundo informações do jornal “Extra”, depois da gravação da sequência da morte de Tiradentes (Thiago Lacerda), que reuniu 700 pessoas no início da trama, o folhetim contou agora com o apoio de cerca de 300 figurantes e 120 pessoas da equipe e elenco para a gravação da cena em que Mão de Luva (Marco Ricca) e Simão (Nikolas Antunes) seriam enforcados.

Comandada pelo diretor André Câmara, a sequência levou dois dias inteiros para ser gravada e precisou de uma atenção especial da equipe de efeitos especiais, uma vez que ocorre diversas explosões no local.


E mais...


Ainda não é dessa vez que Rubião (Mateus Solano) consegue mandar alguém para a forca em "Liberdade, Liberdade". Depois de libertar Virgínia (Lilia Cabral) para fazer média com Joaquina (Andreia Horta), o intendente tem seu plano de matar Mão de Luva (Marco Ricca) e Simão (Nikolas Antunes) frustrado pelos rebeldes.

Em cenas que vão ao ar a partir desta terça-feira (21), a filha de Raposo, abalada por ver uma execução que lembra a de seu pai, Tiradentes (Thiago Lacerda), põe em prática um plano desesperado para evitar a morte dos salteadores.

No dia marcado para o enforcamento, ela pede ao ex-noivo que reconsidere, mas o intendente mente ao dizer que não conseguiu o perdão do príncipe. "Agora não tem jeito", afirma ele.

Joaquina (Andreia Horta) finge passar mal e é socorrida por André (Caio Blat)
Joaquina, então, finge passar mal. Socorrida por André (Caio Blat), a mocinha é retirada do local e logo explica ao irmão que isso faz parte do combinado com os revolucionários.

A ideia é explodir um monumento próximo ao local da execução para desviar a atenção e causar pânico entre os moradores da cidade, que foram em peso ver o "espetáculo" promovido por Rubião.

À beira da morte e prestes a receber a "bênção" do falso padre Vizeu (Marco Oliveira), Mão de Luva afirma: "Sou um cristão temente a Deus. Nunca matei quem não merecesse". Simão, por sua vez, alega inocência. "Só cumpri ordens do chefe", diz.

Quando Rubião dá a ordem ao carrasco, ouve-se a explosão. A praça é tomada por fumaça, e os habitantes de Vila Rica saem correndo, em pânico. Nesse momento, um bando de homens encapuzados, montados a cavalo e liderados por Xavier (Bruno Ferrari), chegam.

"É justiça divina, graças ao Senhor", suspira aliviado Mão de Luva.

Após a fuga dos condenados, o intendente decreta toque de recolher na cidade. Na tentativa de recuperá-los, arma uma cilada para Ascensão (Zezé Polessa), presa por Tolentino (Ricardo Pereira). Depois de interrogá-la, o vilão decreta voz de prisão por obstrução da justiça e por bruxaria, crime que era punido com morte na fogueira.

0 comentários:

Visitantes pelo mundo