.

.

Peça Bruta Flor retorna com nu frontal e cenas mais fortes



Sucesso de público e de crítica, Bruta Flor, peça que provoca o espectador a refletir sobre a homo afetividade e preconceitos nas relações amorosas está há 9 meses em cartaz com mudanças de elenco, agora, com Adriano Arbol, Erika Farias e Willian Tucci. O texto denso trata da homofobia internalizada e sua possível consequência trágica. Confira as fotos e depoimentos do diretor e dos atores.



Não existe receita para Teatro, ou o público gosta ou não. Manter um espetáculo por mais de 9 meses em cartaz está sendo uma prova de resistência e amor ao teatro. Temos um espetáculo ousado e para o público adulto com cenas fortes de sexo, violência e amor em um universo LGBT atual e necessário ser discutido.



No teatro, a substituição de atores sempre foi uma coisa muito normal. Quando estreamos no ano passado, iriamos ficar apenas 6 semanas, com o sucesso acabamos estendendo nossa temporada e com isso, tendo que trocar de elenco pois eles alguns deles tinham compromissos antes mesmo de se iniciar o Bruta Flor.

Todas as cenas que temos hoje no espetáculo foram criadas desde o início, apenas as maneiras como eram apresentadas acabaram ficando mais viscerais pois temos hoje atores que acreditaram em mostrar a realidade ao invés de ficar no conto de fadas de apenas beijos e simulações.



O Brasil tem essa cultura terrível de ver o corpo como algo vulgar. Hoje em dia as pessoas recebem fotos nuas em seus celulares o tempo todo e compartilham as mesmas, mas quando veem ao teatro, elas vestem o “Manto da Bondade”. Estamos fazendo teatro para adultos que estão acostumados a ver, falar e fazer sexo.



O nu em cena nunca me incomodou enquanto ator. Com a exposição do corpo, a primeira coisa que avalio e observo quando me convidam para trabalho desse gênero é o texto e a direção, qual a proposta do espetáculo e como o diretor vai direcionar essa exposição. – Adriano Arbol (ator)

No palco, eu nunca havia ficado nu, apenas no cinema. Quando fiquei sabendo que faria o Miguel, foi um motivo de grande felicidade para mim, justamente por não ser um tipo de personagem ao qual eu estou acostumado a viver.  Essa carga dramática dele é algo que me motiva muito. – William Tucci (ator)


Fonte: Unicorn Booty - Português
Texto: Marcio Rolim

0 comentários:

Visitantes pelo mundo