.

.

Jornalista diz que Carlos Lombardi não quer trabalhar com atores da Record, autor responde


Carlos Lombardi à esquerda, e o diretor Alexandre Avancini
Segundo o jornalista Leo Dias, do jornal O Dia,  o autor Carlos Lombardi estaria se recusando a trabalhar com grande parte do elenco da Record, sua nova emissora. Lombardi teria pedido a direção de teledramaturgia, que contratasse Jackson Antunes e Stephany Brito, o contrato do ator com a Globo termina no final do ano e Stephany está desempregada. Mas a Record não quer pagar o valor que  Stephany está pedindo, que é de R$ 50 mil.Ainda segundo a publicação, Lombardi trabalhou na Globo por 30 anos e se acostumou com a fartura de atores na emissora.
Não demorou muito e o autor tratou logo de responder as afirmações do colunista em sua página no Twitter.
Leia na íntegra:
Desculpem tomar o tempo de vocês, mas saiu uma matéria que me deixou tão… sei lá. Vou me explicar de novo. Jornalista diz que estou esnobando elenco da Record. Não é verdade. Desde o início diz que a maior parte do elenco da minha novela será composto pelo casting JÁ CONTRATADO da Record. Alguns atores de fora (e sem vínculo com outras empresas) também entrarão.  Mas serão minoria no elenco. Provavelmente 70 por cento do elenco, no mínimo, será de já contratados da Record. Não fiz exigência nenhuma. Eu e Avancini pedimos a reserva de um número limitado de atores e atrizes JÁ NA RECORD e só. Essa reserva vem de um rascunho de escalação que eu e Avancini fizemos – onde há quase sempre MAIS DE UMA OPÇÃO para cada personagem. Mas é isso. SÓ UMA RESERVA. A reportagem também fala que eu estaria dando trabalho porque fiquei mal acostumado pelo enorme cast da Globo…
Quem seguiu minha trajetória sabe que sempre tive que me virar em escalação e, infelizmente, trabalhei pouco com grandes estrelas. Tentei Antonio Fagundes, ator que admiro muitíssimo, duas vezes. Ele não me foi dado pela direção da casa. Uma dessas vezes foi pra fazer o general Carlos Camacho, vilão-bufão de Kubanacan. Fiz o papel pensando nele. Quem o fez na novela foi Humberto Martins – e muito bem.
Promovi coadjuvantes a protagonistas – como o próprio Humberto, Marcelo Novais, Guilherme Fontes, Luana Piovani, Pasquim e mais gente ainda. Arrisquei com Betty Lago como uma das protagonistas de Quatro por Quatro – um risco que valeu muito, muito a pena. Ela arrasou como a Bibi. Fui fiador da escalação de Letícia Spiller, praticamente uma desconhecida, para a protagonista Babalú da mesma novela. Ela foi fantástica.
A maldade do comentário comigo é ruim, mas nao seria a primeira nem a última que eu encarei ou ainda terei de encarar. Escolhi esse trabalho Mas me incomoda que, apesar dos vários defeitos que tenho, a matéria inventa um que eu nunca tive. Garanto, não preciso de defeitos novos. A peça de ficção apresentada como reportagem fica mais incompreensível quando fala em três atores que estaria pedindo: Jackson Anrtunes, Stephanie Brito e a Mel de Rebelde. Com todo respeito que tenho pelos atores citados, NENHUM DOS 3 está no rascunho de escalação que eu e Avancini fizemos. Nenhum. No caso da Mel, que é da casa, garanto que ela não faz parte da nossa pequena lista de reservas.
De onde vieram esses nomes? Não faço idéia. Por que criar com a nota um clima ruim entre eu e o elenco da casa? Também não sei.
E nem quero saber. Só abusei da paciência de vocês para não ver essa notícia ofensiva, essa mentira gratuita, ser aceita como verdade.
Para evitar especulações maiores, porém, vou divulgar dois nomes que já são certeza para mim e para o Avancini e que estão na casa: Betty Lago e Jussara Freire.

0 comentários:

Visitantes pelo mundo